quarta-feira, 21 de abril de 2010

-és uma espécie de verdade, uma verdade não comprovada que me rasa a pele e me amarga os sonhos.

É engraçado constatar que apesar de te imaginar de todas as formas e maneiras carinhosas,com todas aquelas palavras melosas e aquele floreado verbal,é no teu silêncio que acredito mais.
Quando me falas é como se faltasse ali algo existe uma barreira,um muro entre nós.
As palavras que usas,as frases que me dizes,os textos que constróis,não fazem sentido quando os pronuncias,ao invés do teu silêncio,que me inquieta e me faz imaginar quinhentas mil coisas.é um silêncio profundo,comovido até.
Talvez porque toda a gente leve o silêncio para um lado negativo,atrevo-me a dizer,que me sinto muito mais unida a ti quando ambos nos entregamos ao silêncio e desta forma inaudível pronunciamos todas as formas de carinho que gostaríamos de aplicar com o outro.




5 sentidos:

Joana Carvalho disse...

vou seguir o teu também *.*

PR" disse...

PORRA!
Está tão lindo! *.*

marge disse...

adorei o texto! (e o blog)
o silencio, por vezes, é talvez o nosso maior inimigo! mas nunca se deve deixar para lá o que devemos dizer na hora certa!

Kita' disse...

Está lindo o texto *.*

inês Filipa disse...

"woow" :)

Enviar um comentário

Utiliza palavras suaves..